quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Silvia Stuchi Cruz, Corridaamiga

Silvia Stuchi Cruz - Foto: Paulo Pampolin
Foto: Paulo Pampolin

Pesquisadora, gestora ambiental pela EACH/USP, realizou estágio de doutorado na França e Finlândia, abordando temas voltados ao meio ambiente e sustentabilidade. Corredora amadora desde 2010, há 3 anos começou a usar a corrida como meio de transporte, para o trabalho e para outros compromissos. Foi a forma que ela encontrou para continuar treinando e não perder um precioso tempo sofrendo parada no trânsito. Escuta com muita frequência das pessoas: VOCÊ É LOUCA! E confessa que não se sente mal ouvindo isso, se considera uma “louca: louca consciente”. E sua principal motivação para fazer funcionar a Corridaamiga é justamente mostrar que existem alternativas a este cenário. Basta estar aberto e disposto a encarar esta mudança de paradigma. 

Como nasceu a iniciativa Corridaamiga?

Silvia: Em 2013 realizei estágio de doutorado na França. Na Europa de um modo geral (e nos Estados Unidos também), a prática da corrida como meio de transporte já está difundida, denominada de run commuting. Embora exista uma clara difusão da corrida no Brasil, correr como meio de transporte não é ainda prática comum por aqui.

Assim, surge no início de 2014 a Corridaamiga, fruto da iniciativa de corredores de rua já acostumados a se deslocar pela cidade utilizando seus pés que gostariam de auxiliar e inspirar a prática da corrida como forma de mobilidade urbana.  Há duas formas principais de participação: pedindo uma Corridaamiga ou sendo um corredor amigo. O cadastro deve ser realizado na plataforma online da Corridaamiga. Os atendimentos são realizados da seguinte maneira: após o preenchimento dos pedidos no site, cruzamos os dados com o corredor voluntário mais próximo da região solicitada, que realizam o trajeto em conjunto e/ou fornecem, voluntariamente, instruções e informações aos iniciantes no uso da corrida como meio de transporte sobre as melhores rotas, como correr na rua, o uso das calçadas, o respeito ao pedestre, a logística de roupas, equipamentos e itens indispensáveis para o uso da corrida como meio de deslocamento. 

Até dezembro de 2014, o grupo atendeu 64 pedidos de Corridaamiga, em sua maioria nos grandes focos de trânsito da cidade de São Paulo. Atualmente, a rede conta com quase 60 corredores voluntários de São Paulo-SP e outras cidades, como Campinas, Mogi das Cruzes, São Bernardo do Campo e Santo André, além de estados como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Bahia e Ceará. 

É muito gratificante para nós atingir tantos Estados e cidades brasileiras em tão pouco tempo. É realmente inacreditável o que a internet, como um instrumento de formação de Rede, é capaz de proporcionar, unindo tanta gente boa e que buscam mudanças positivas para suas vidas e para a sociedade de um modo geral.

Quais são os obstáculos mais comuns encontrados por quem faz seus trajetos correndo?

Silvia: O estado de nossas calçadas é um dos principais motivos que barram o deslocamento dos pedestres, sendo também um entrave para a prática de corrida de rua. Segundo dados do IBGE (2010), um terço das viagens urbanas diárias são feitas a pé, em geral pequenos trajetos até a escola, creche, mercado, mas também viagens longas, de vários quilômetros até o local de trabalho. Porém, nos últimos anos, calçadas foram reduzidas ou, em alguns casos, eliminadas para dar espaços a mais vias na tentativa de melhorar o tráfego de veículos. As condições inadequadas das nossas calçadas dificultam o uso da corrida como meio de transporte, assim como a mobilidade de idosos, crianças e deficientes. Nesse sentido, salientando a preocupação com as calçadas que encontramos diariamente nas cidades brasileiras, em parceria com o Cidadera, convidamos os cidadãos a realizarem sua reclamação no mapa #calçadacilada com alguma inadequação encontrada na calçada.


Corridaamiga utiliza a plataforma Cidadera para mapear colaborativamente a situação das calçadas de todo o país através da campanha #CalçadaCilada.

Acesse a #CalçadaCilada